“O Brasil não merece um golpe nessa altura da vida. Há muitas críticas à política econômica, mas não é motivo para o impeachment”, disse o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB). Ontem, juntamente com outros 15 prefeitos de capitais, ele assinou carta de apoio à presidente Dilma Rousseff.

O documento dos prefeitos foi entregue à presidente durante reunião no Palácio da Alvorada. Conforme informações da Agência O Globo, a carta diz que a presidente tem demonstrado "retidão institucional e compromisso público no exercício de suas funções" e que a análise do pedido de afastamento da presidente se "inicia eivada de vícios". Segundo o documento e de acordo com a agência, "não há atos ou fatos que respaldem o início de um processo dessa natureza". A peça, segundo a carta, "se apoia em ilações e suposições que tentam sem consistência jurídica imputar responsabilidade à presidenta".

Além de Amastha, encontram-se com a presidente os prefeitos do Rio, Eduardo Paes (PMDB-RJ); de Macapá, Clécio Vieira (sem partido); de Campo Grande, Alcides Bernal (PP); de Fortaleza, Roberto Claudio Rodrigues Bezerra (PDT); e de Goiânia, Paulo Garcia (PT).