Maria da Natividade Glória Ribeiro
graduada em Letras com Especialização em Língua Inglesa e Psicopedagogia, vice-presidente da Associação de Professores de Língua Inglesa do Tocantins-APLITINS- 2020/2021.
 
A saúde, a adaptação ao meio em que vivemos e a compreensão que somos todos iguais, são uns dos tesouros mais preciosos de uma sociedade. São tão raros quanto poderosos.
 
Se alguém ainda tinha alguma dúvida sobre vivermos em uma aldeia global, 2020 resolveu a questão. Um vírus descoberto lá para as bandas da China, um País, que para muitos é imaginário, viajou o mundo inteiro, causando estragos e atingindo todas as classes, não importando se é cientista, médico, professor, gari político, moradores em palácios ou nas mais simples casas.                              
Covid-19, do inglês (corona vírus disease) nome oficial da doença de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), e que recebeu o número porque foi descoberto em dezembro de 2019.
 
Não podemos dizer que realmente aprendemos esta lição integralmente, mas sentimos na prática, como nunca antes, o sentido de viver em conexão. Para realmente aprendermos, vamos ter que parar de olhar o “outro lado “como algo distante, e entender que o problema é de todos, e, está também aqui. Mesmo com todo esse acontecimento inesperado no planeta Terra, foram muitos os aprendizados e seguimos para 2021, com a esperança de que seja um ano de reequilíbrio do planeta, que foi abalado pela pandemia da Covid-19, e que possamos tirar proveito de tudo isso, e estarmos mais preparados e resilientes para as próximas crises que porventura, virão.
 
2020. Este foi o ano em que perdemos nossos parentes e pessoas queridas, cancelamos viagens, aprendemos novas metodologias de ensinar e aprender, aprendemos e colocamos em práticas novos vocabulários na língua inglesa, jamais aplicados em sala de aula como por exemplo: lockdown, drive-thru, delivery, live, home office e muito mais.  Abordo isso, considerando a minha passagem em sala de aula, como professora desta língua, na educação básica.
 
Quando nas primeiras notícias de mortes causadas por essa Pandemia, jamais me veio à mente a partida precoce de pessoas tão próximas e queridas, que eram envolvidas efetivamente em suas funções, homens jovens e trabalhadores, e, sem nenhuma comorbidade, nos alertando que todo mundo está exposto e submetido a essa tragédia.
 
Dentre várias pessoas que perderam suas vidas destaco aqui seis grandes amigos, filhos da nossa querida Porto Nacional, que deixaram a sua marca nas áreas da educação, entretenimento, saúde e turismo. Foram estes: Jesiel, Lícia, Lourival, Nélio, Meire e Raimundo, pessoas que só plantaram bons princípios e bondade por toda vida, bem como várias outras pessoas que foram acometidos dessa doença e partiram sem no mínimo ter o direito de um digno, ADEUS!
 
No campo tecnológico, observou-se uma avante aceleração no uso das tecnologias, as quais viabilizaram novos modelos de trabalho. O comportamento digital foi incorporado na rotina de um grande contingente de pessoas e organizações, e é impensável qualquer retrocesso nesse sentido, quando pensamos no período pós-pandemia. 
 
Como a pandemia também desencadeou a necessidade do isolamento social, logo ficaram conhecidas expressões idiomáticas estrangeiras voltadas ao mundo do trabalho, da socialização e do estudo remoto, usando as plataformas google meet, google classroom, ou fazendo live em home office, e, enquanto isso, eu estou em quarantine, maintaining  social distance, observando se tenho fever and cough, tiredness, short ness of breath, loss of palate, usando alcohol in gel and washing my hand’s, e, com a  maior expectativa de que o  ano que se aproxima seja coberto das bênçãos poderosas de Deus.