Notícias

Dono de avião em que estava Teori recorreu ao STF para tentar trancar ação de crime ambiental

Empresário é acusado de realizar construções irregulares na Ilha das Almas para onde o avião seguia

Reprodução/Google Earth

O empresário e dono do avião que caiu com o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, Carlos Alberto Fernandes Filgueiras possui algumas pendências judiciais.

Em novembro do ano passado, Carlos Alberto recorreu à Corte na tentativa de trancar uma ação onde é acusado de cometer crime ambiental na Ilha das Almas, em Paraty, no Sul Fluminense. Além da ilha para onde o avião seguia, o empresário é dono da Fazenda Itatinga.

O processo movido pelo Ministério Público Federal (MPF) acusa Carlos Alberto de realizar construções irregulares na ilha. No desenrolar da ação, o ministro Edson Fachin negou o pedido do empresário em 13 de dezembro de 2016. O recurso já tinha sido negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Já na denúncia do MPF consta que o empresário fez construções ilícitas em uma Área de Proteção Ambiental (APA) criada em 1983. Ele adquiriu a região em 2002. A Polícia Federal realizou vistas na ilha em 2007 e em 2008 e constatou além de construções irregulares, desmatamento e descaraterização do ecossistema da região.

Analisando imagens do Google Earth é nítida a evolução do desmatamento ocorrido a partir de 2008. Já em 2011, além de praias artificiais é possível ver edificações de grande porte.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ