Um nome real: Júlio Santana. Um pistoleiro de aluguel que depois de matar reza dez ave-marias e 20 pai-nossos para pedir perdão, porque tem medo de ir para o inferno. Sem ideologia, Santana mata por ofício. Uma profissão que aprendeu em família, com seu tio Cícero, que lhe passou seu primeiro trabalho aos 17 anos. Depois de 35 anos como pistoleiro, ele co...
Faça o seu cadastro e acesse até 05 matérias exclusivas por mês gratuitamente.
ou
Aproveite todo o conteúdo do site de forma ilimitada!
Assine o Jornal do Tocantins!
QUERO SER ASSINANTE
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários