Notícias

Justiça retoma depoimentos sobre caso de informação privilegiada envolvendo irmãos Batista

MPF acusa Joesley e Wesley de terem lucrado cerca de R$ 100 milhões com compra de dólar nas vésperas da divulgação da delação dos empresários, em maio de 2017

Reprodução/Twitter
Joesley Batista e Wesley Batista

A Justiça Federal retomou nesta segunda-feira (9) os depoimentos no caso de informação privilegiada (insider trading) e manipulação envolvendo os irmãos Joesley e Wesley Batista, sócios da JBS. A denúncia foi encaminhada em outubro do ano passado à 6ª Vara Federal de São Paulo e é resultado da Operação Acerto de Contas, desdobramento da Tendão de Aquiles, que apura se houve uso indevido de informações por parte das empresas JBS Participações e FB Participações no mercado financeiro.

Newsletter O POPULAR - Receba no seu e-mail informação de confiança

* preenchimento obrigatório

Segundo o MPF, uma testemunha de acusação, da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), começou a ser ouvida por volta das 9h desta manhã. O depoimento foi interrompido no início da tarde, para um intervalo, mas já foi retomado e ainda segue em curso. Outra testemunha de acusação e mais quatro de defesa também estão programadas para serem ouvidas.

O MPF acusa os irmãos de terem lucrado cerca de R$ 100 milhões com compra de dólar no mercado futuro e a termo, além de terem deixado de perder R$ 138 milhões com o processo de venda e recompra de ações da JBS, nas vésperas da divulgação da delação dos empresários, em 17 de maio de 2017.

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ