É muito difícil que as economias dos países do oeste da África mais afetados pela epidemia do ebola se recuperem enquanto houver novos casos de infectados pelo vírus, disse ontem Jean Senahoun, economista da Organização da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO). A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou na quinta-feira o fim do surto na África Ocidental, apes...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários