“Cada linha de Cem Anos de Solidão tem o ponto de partida na realidade. Eu forneço uma lente de aumento para os leitores entendê-la.” A afirmação apontada pelo escritor Gabriel García Márquez tem relação direta com o que o colombiano reiterou nas histórias contidas nas 432 páginas do famoso livro que comemora 50 anos de sua primeira publicação neste mês. Entre um realis...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários