Magazine

Série rejuvenescida

Guerra entre homens e máquinas confunde passado e futuro

Na retomada da franquia O Exterminador do Futuro, que estreia hoje nos cinemas, Arnold Schwarzenegger volta ao papel do implacável androide T-800, símbolo da guerra entre humanos e máquinas na franquia. A trama se passa em 1984, como no primeiro filme da série, mas no novo longa, que mistura duas linhas do tempo diferentes, os homens e os robôs travam um outro tipo de batalha.

No futuro, em 2029, a resistência dos humanos é comandada por John Connor (Jason Clarke), que manda o sargento Kyle Reese (Jai Courtney) de volta a 1984, o ano de sua concepção, para proteger sua futura mãe, Sarah Connor (Emilia Clarke). Só que o passado mudou e Sarah é agora uma mulher destemida e treinada para a guerra pelo Guardião T-800 (Arnold Schwarzenegger), aqui reprogramado para defender os humanos.

No entanto, uma outra versão do T-800, a do mal, como no primeiro longa, vem para destruir a heroína. A narrativa do quinto filme da franquia pode parecer confusa e tem lá seus furos, como o cyborgue que envelhece. A trama reflete a ginástica de um time de roteiristas para reinventar um produto já exaustivamente explorado para uma nova plateia, mas sem abrir mão das características que a definiram como uma dos maiores franquias do anos 80: lutas, explosões, vilões indestrutíveis e toneladas de efeitos especiais.

Ele está de volta

A participação de Arnold Schwarzenegger, sem dúvida, é o grande destaque nesta retomada da franquia, 30 anos depois do longa original. Durante sua passagem pelo Brasil, para divulgar o blockbuster, comentou que ficou muito feliz de poder voltar ao mesmo personagem. “Em grandes franquias de ação como James Bond ou Batman os atores são trocados e tudo bem. Então ter essa chance de continuar é um privilégio”, disse o ator.

O astro mostrou, além da boa forma aos 67 anos, que também tem bom-humor ao explicar porque o Exterminador, um androide, tem rugas. “Nada muda por causa da idade: o esqueleto e a máquina são basicamente as mesmas. O que envelhece nele é o tecido humano.”

“Estou em grande forma, malho duas vezes por dia. As habilidades com as armas não mudam, as cenas de luta que fiz nesse filme foram incríveis. O que mudou mesmo foi a missão: em 1984, eu lutava pelas máquinas, em 2015, luto pela raça humana”, disse o ator. Em seguida, ele adotou para si uma das melhores falas do seu personagem no novo filme: “estou velho, mas não obsoleto.”

Serviço

O Exterminador do Futuro – Gênesis: EUA, 2015

Direção: Alan Taylor

Elenco: Arnold Schwarzenegger, Emilia Clarke, Jai Courtney.
Cines: No Cinemark às 12h - 14h50 - 17h40 - 19h - 20h30 - 21h50. No Lumière às 13h20 - 15h50 - 18h45 - 21h10

Classificação: 12 anos.

Photo credit: Melinda Sue Gordon
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ