O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não reagiu bem ao discurso que o secretário de Estado americano, John Kerry, fez na quarta-feira (28), em Washington, no qual condenou os assentamentos judaicos na Cisjordânia. As informações são da Rádio França Internacional.

Netanyahu se disse decepcionado e surpreso com o pronunciamento, classificando Kerry de “obsessivo” em relação aos assentamentos, ignorando que outras partes do Oriente Médio estão “em chamas”. De acordo com líder israelense, Kerry preferiu criticar a única democracia da região e deixar de lado o que seria o verdadeiro problema: “A persistente recusa palestina em reconhecer um Estado judeu em qualquer fronteira”.

Netanyahu também enfatizou que anseia pela subida ao poder do próximo presidente americano, Donald Trump, que, horas antes do discurso, criticou Kerry pelo que chamou de “desdém” contra Israel. “Fique forte, Israel, 20 de janeiro está chegando rapidamente”, escreveu Trump no seu Twitter, referindo-se ao dia de sua posse.

O discurso aconteceu cinco dias depois da aprovação, pelo Conselho de Segurança da ONU, de uma resolução condenando os assentamentos, aprovada por 14 países e com abstenção dos americanos, que não utilizaram seu tradicional poder de veto. Netanyahu acusou o presidente Barack Obama de “conspirar” contra Israel na ONU.