A programação cultural de Palmas na noite de hoje contará com apresentações nacionais de stand up e de teatro. O ator, apresentador e humorista Rafael Cortez com turnê nacional traz o seu solo de stand up comedy O problema não é você, sou eu – Dicas de um amante fracassado para ter sorte no amor, às 20 horas, no Anfiteatro do Colégio São Francisco de Assis, na mesma noite a companhia Letras de Rosa, do Rio de Janeiro, apresentará o espetáculo A Terceira Margem do Rio: a de Dentro, também às 20 horas, no Theatro Fernanda Montenegro.

A famosa frase dos conflitos amorosos e assuntos como namoro, casamento, traição, sexo, virgindade, tipos de casais e relações, amor-livre, solteirice e separação fazem parte do enredo do stand up comedy, como adianta Rafael Cortez. “O tema deste show é relacionamento e tudo que dele derive. Afinal, o amor é a única coisa que é desejo vital comum entre todos os seres humanos: da Rainha Elizabeth ao Anderson Silva, de um operário de metalúrgica ao Chiquinho Scarpa. É um tema universal”, complementa o humorista.

O texto é resultado da parceria entre Rafael Cortez e o humorista e roteirista Afonso Padilha. O humorista abordará temas diversos com os quais o público se identifica com muita interação e música. “O show que a cidade vai ver é bem engraçado e conta com minha experiência de 9 anos fazendo solos de comédia por todo o Brasil. E, é claro, tem a pitada especial da minha saudade de Palmas e da minha vontade urgente de estar de novo aí com todo esse povo que eu adoro - ainda mais se pagar inteira. (risos)”, afirma Cortez.

Teatro

Um homem que desde criança lamenta a estranha partida do pai. Um espetáculo contado através de um monólogo que resgata a brasilidade, o sertanejo, o regionalismo e a cultura popular. Tudo isso está na peça A Terceira Margem do Rio: a de Dentro. Baseado na obra de Guimarães Rosa, a atração traz elementos de um conto extraído do livro Primeiras Estórias do escritor mineiro e é interpretado no palco pelo ator Renato TouzPin.

A narrativa detalha as especificidades geográficas, ecológicas e sociais componentes de nossas raízes, ao identificar particularidades e riquezas das manifestações artísticas regionais e nacionais. Em cartaz há sete anos, o premiado espetáculo carioca traz uma sonoplastia ao vivo e traduz a alma mineira e sertaneja. “O presente projeto propõe um mergulho artístico no inconsciente, no desconhecido, na loucura e na solidão, trazendo à tona anseios e sentimentos velados, questionamentos, reconhecimento de si, sonhos, encantamento, liberdade. Seu diferencial é a metamorfose da força e beleza das palavras de Rosa em gesto, movimento, corpo, voz, ação e poesia cênica e a transposição da alta literatura brasileira em cena acessível ao espectador de teatro”, explica Renato. (Com informações das assessorias)