Como se formam os estados emocionais, como medo, ódio, amor? O que gera a cólera? O que acontece aos sentidos de um sujeito quando é dominado pelo ciúme? O que realmente “sente” um personagem numa narrativa? Usando como assunto o modelo de transição de um estado a outro de um personagem, o cineasta tocantinense Hermes Leal lança hoje, em São Paulo, o livro As Paixões na Narrativa – A Construção do Roteiro de Cinema. O livro será lançado na 41ª Mostra de Cinema de São Paulo, às 19 horas, na Livraria Blooks, do Shopping Frei Caneca.

Segundo o autor, o livro evoluiu a teoria da narrativa da atualidade, proposta, principalmente, pelos autores Robert McKee e Syd Field, que teorizam a “ação”, e trouxe uma nova teoria baseada na “paixão”. “O livro é uma teoria do roteiro ainda não aplicada, uma novidade, um novo olhar para a linguagem de cinema, a partir de uma semiótica que vem mudando os rumos do pensamento contemporâneo mundo afora”, afirma.

Segundo a divulgação, o livro irá preencher um anseio dos realizadores, que sentem falta de um estudo que explique as grandes falhas do nosso cinema e como corrigi-las, e está fundamentado em 28 anos de pesquisas de Leal.

Autor

Hermes Leal, natural de Araguaína (TO), é escritor, documentarista, jornalista (UFG), mestre em Cinema (ECA/USP) e doutor em Semiótica pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Produz, dirige filmes e séries de TV. Como escritor, tem seis livros publicados: os romances Eu Sou Foda! (1988) reeditado como Faca na Garganta (2006) e Antes que o Sonho Acabe (2015); as biografias O Enigma do Coronel Fawcett (2008) e O Homem da Montanha (2009); e Quilombo – Uma Aventura no Vão das Almas (1995).