Estado

Recursos são divididos entre gestões

Segundo o presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e prefeito de Brasilândia do Tocantins, João Emídio de Miranda, alguns municípios não conseguem transportar os alunos por falta de recursos financeiros. “É uma questão de poder, de recurso, porque grande parte dessa frota é terceirizada, e depende exclusivamente de combustível”, afirma.

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, diz que os alunos do Setor Barra da Grota são de escolas estaduais, sendo competência do Estado gerir o transporte dos estudantes. “Onde firmamos parceria estamos transportando normalmente, agora o Estado tem algumas situações que ele mesmo transporta diretamente para as escolas estaduais. Eu não tenho no município transtorno com o transporte.”

Os prefeitos de São Valério, João Jaime Cassoli, e de Pedro Afonso, Jairo Soares Mariano, foram procurados, porém até o fechamento desta edição não foi possível contato.

Em relação à falta de transporte em Araguaína, a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informou que está, junto à empresa que realiza o transporte escolar e demais secretarias de Estado, buscando a solução para o problema. A pasta informou ainda que o governo cede os ônibus para realização do transporte e “realiza repasse às Prefeituras no valor de R$ 7,50 mensal por aluno transportado”.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ