Estado

MPE-TO adere a sistema nacional de localização de desaparecidos

Sistema foi desenvolvido pelo MP-RJ e pretende, com a adesão nacional das unidades do Ministério Público, aumentar o número de soluções de desaparecimentos

Sergio Almeida/Ascom CNMP/Divulgação
Rachel Dodge ao lado de Clenan Renaut na assinatura do termo de adesão ao Sinalid

O Ministério Público Estadual do Tocantins (MPE-TO) assinou, através do procurador-geral de Justiça do Estado, Clenan Renaut de Melo, termo de adesão ao Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid). O sistema é um resultado da criação e ampliação do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (Plid).

O objetivo, de acordo com o MPE, é criar um sistema de buscas integrado nacionalmente e desenvolver ações conjuntas e de apoio mútuo às atividades de sistematização de procedimentos, comunicações e registros de notícias de pessoas desaparecidas ou vítimas de tráfico humano, com cruzamento de dados.

Além do Ministério Público do Estado do Tocantins, outros sete MPs país também assinaram o termo. Com isso, ao todo, vinte e cinco unidades do Ministério Público já aderiram ao sistema.

A iniciativa ocorreu durante reunião realizada ontem em Brasília, entre a presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Raquel Dodge, e integrantes do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais (CNPG).

A proposta do Sinalid é que, com a adesão nacional das unidades do Ministério Público, os números de soluções tenham aumento substancial.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ