Estado

Falta de exames é questionada

Sobre os exames laboratoriais, o defensor público afirma que, na última sexta-feira, continuavam em falta e lembra que no mesmo dia saiu decisão judicial multando o secretário em dez salários mínimos pelo descumprimento da decisão, que determinava o restabelecimento dos serviços de exames laboratoriais dos Hospitais Públicos de Palmas e Porto Nacional.

“Ele é um gestor público e tem que prestar conta para a sociedade e ele não está dando conta de fazer. Está faltando um monte de coisa, pergunta se está fazendo cirurgia de hanseníase, pergunta quantas crianças têm na fila de cirurgia pediátrica eletiva, mais de mil, pergunta por que ele não compra o instrumental para operar a cardiopatia congênita”, questiona.

E complementa que o secretário notificou para que o laboratório que atuava no HGP desocupasse o hospital em 24 horas, sabendo que a empresa ganhadora da licitação tinha 15 dias para entrar. “Ele reconheceu que ia faltar os exames. E está faltando exames para muita gente”, completa.

Sobre as afirmações de Musafir de que não morre ninguém por falta de atendimento ou assistência nos hospitais públicos do Estado, o defensor público informou que vai encaminhar para o MPE. “Principalmente para a promotoria criminal que está apurando os homicídios”, finalizou Marques.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ