Estado

CNJ considera ilegal e suspende ato do TJ-TO que autorizava juízes a receberem TCO lavrado pela PM

Conforme a decisão, a lavratura do Termo Circunstanciado de Ocorrência é de atribuição dos policiais civis e federais

Gil Ferreira/Agência CNJ
Atualizada às 18h17 O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proferiu liminar suspendendo o ato da Corregedoria Geral da Justiça do TJTO (CGJUS) que autorizava os magistrados de 1º grau a reconhecerem os Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) lavrados por policiais militares. A decisão proferida pelo conselheiro Luciano Frota nesta quarta-feira, 11, é em favor...
Matéria exclusiva para assinantes
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ