Esporte

Tite consegue maior vitória de últimas dez estreias de técnicos na seleção

Em todas as últimas estreias de técnicos na seleção brasileira, nenhum conseguiu sair com vitória tão elástica

Divulgação/CBF
Na estreia de Tite, Brasil jogou bem e venceu o Equador por 3 a 0

"Venceu e mereceu", foi o que disse o técnico Tite sobre o desempenho da seleção brasileira nesta quinta-feira (1º), em Quito, após a vitória por 3 a 0 sobre o Equador. A despeito de um primeiro tempo irregular, a equipe mostrou velocidade e boas trocas de passes no segundo tempo e foi muito superior ao adversário.

A felicidade do treinador vem também da raridade do feito em sua primeira partida no cargo. Em todas as últimas estreias de técnicos na seleção brasileira, nenhum conseguiu sair com vitória tão elástica. Dunga (duas vezes), Felipão (duas vezes), Mano Menezes, Parreira, Leão, Luxemburgo e Zagallo foram os últimos estreantes da seleção em série que se iniciou em 1994, quando Zagallo conseguiu vitória por 2 a 0 sobre a Iugoslávia.

Luxemburgo, seu sucessor, não passou de empate por 1 a 1 contra a mesma seleção, em 1998. Dois anos depois, Leão comandaria o Brasil em vitória sobre a Colômbia por 1 a 0. Na sequência, duas derrotas marcaram o início dos trabalhos de Felipão e Parreira: o Uruguai venceu o Brasil por 1 a 0 em 2001, placar que seria repetido por Camarões em 2003.

Três anos depois, em sua primeira estreia, Dunga veria a seleção brasileira empatar com a Noruega por 1 a 1. Em 2010, Mano Menezes teria um primeiro jogo animador pela seleção brasileira, com vitória por 2 a 0 e boa performance de jogadores que haviam sido deixados de fora da Copa por Dunga, como Ganso.
Em seu retorno ao cargo em 2013, Felipão sucumbiu à Inglaterra em derrota por 2 a 1, enquanto Dunga teria melhor sorte na reestreia: 1 a 0 sobre a Colômbia, em 2014.

Ao todo, foram quatro vitórias, dois empates e três derrotas dos antecessores recentes de Tite.

"Os atletas mereceram muito ganhar esse jogo. Merecem pelo curto espaço de tempo. Talvez eu não tenha tido tanto tempo, mas a nossa fala é muito intensa. Os trabalhos foram muito fortes e o desafio era grande. Precisávamos restabelecer um padrão de organização para fazer frente ao Equador fora de casa. Uma palavra que usei bastante: ele venceu e mereceu, principalmente pelo segundo tempo", disse após a partida.

Na terça-feira (6), a seleção brasileira recebe a Colômbia na Arena da Amazônia, em Manaus, pela 8ª rodada das eliminatórias da Copa do Mundo.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ