Esporte

Peixe vacila e Vasco ganha sobrevida na Copa do Brasil

Santos abre 3 a 0, mas permite gol vascaíno no fim. Em Curitiba, Grêmio derrota Furacão

Luis Tajes
Vantagem - Observado por Luan, zagueiro santista Gustavo Henrique comemora gol do Santos na Vila Belmiro

O Santos soube aproveitar bem o fator casa e venceu o Vasco ontem, por 3 a 1, e saiu na frente por uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. No jogo de volta, no Rio, a equipe paulista pode perder por até um gol de diferença que ainda assim está classificada às quartas de final do torneio nacional.

O gol que abriu o placar saiu da cabeça de Renato, ainda no primeiro tempo. Após cruzamento de Lucas Lima, o veterano de 37 anos cabeceou e fez 1 a 0 aos 30 minutos de jogo. Ainda na etapa inicial, aos 36 minutos, o atacante Ricardo Oliveira cobrou uma falta de longe no ângulo do Martín Silva e ampliou.

No segundo tempo, os santistas continuaram pressionado afim de abrir uma maior vantagem para o jogo de volta. E conseguiram. Aos 20 minutos, Lucas Lima chutou de fora da área após um bonito passe de letra de Renato e fez mais um.

A vantagem fez com o que o time paulista diminuísse o ritmo, mas ainda assim criou algumas boas oportunidades para ampliar o marcador na Vila Belmiro, mas o quarto gol santista não ocorreu.

A situação estava tranquila até os 50 minutos, quando Eder Luis aproveitou um rebote do goleiro Vanderlei e descontou. O gol do vascaíno deu sobrevida ao time carioca, que agora pode ganhar por 2 a 0 e garantir a classificação.

Em outro confronto da noite, Weverton, Luan e Walace voltaram da seleção brasileira com a medalha de ouro conquistada na Olimpíada e estiveram ontem. Mas quem brilhou mesmo foi o veterano Douglas.

Com uma assistência de letra, o camisa 10 foi fundamental na vitória do Grêmio por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Weverton não falhou. Evitou um gol de Luan aos 27 minutos do segundo tempo, com passe de Walace, por sinal. Mas levou um logo no primeiro chute que poderia efetuar defesa em seu retorno ao Atlético Paranaense. E foi uma bonita jogada.

O gramado sintético, molhado por indicação do Atlético-PR, acabou traindo o próprio time. Marcos Guilherme escorregou, Walace encontrou Douglas, que de letra colocou Bolaños cara a cara com o goleiro rubro-negro. De pé direito, o equatoriano decidiu a partida.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ