Esporte

Jefferson pega pênalti em retorno, Botafogo marca no fim e empata com Atlético-MG

Goleiro ficou 14 meses afastado devido a uma lesão no tríceps do braço esquerdo e ganhou a chance de voltar ao time porque o atual titular da posição, Gatito Fernández, sofreu um corte no joelho na vitória sobre o Nacional, em Montevidéu, pelas oitavas de final da Copa Libertadores

Divulgação/Botafogo
Fogão arrancou empate no fim contra o Atlético-MG graças à atuação de Jefferson

O empate entre Botafogo e Atlético-MG, por 1 a 1, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, não refletiu todas as emoções vividas pelos torcedores que compareceram ao estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Rio, na noite deste domingo. A partida marcou o retorno do goleiro Jefferson, que defendeu um pênalti e fez várias defesas dificílimas, que pararam os adversários e ajudaram o time carioca a somar mais um ponto no torneio.

Jefferson ficou 14 meses afastado devido a uma lesão no tríceps do braço esquerdo e ganhou a chance de voltar ao time porque o atual titular da posição, Gatito Fernández, sofreu um corte no joelho na vitória sobre o Nacional, em Montevidéu, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, na quinta. Ao entrar em campo, Jefferson completou a marca de 430 jogos pelo clube.

O goleiro botafoguense havia jogado pela última vez no dia 12 de maio do ano passado, contra a equipe do Juazeirense, em Juazeiro, na Bahia, pela segunda fase da Copa do Brasil de 2016, quando sentiu o braço "mole" - conforme relatou na época - e foi substituído por Helton Leite. Depois disso, Jefferson passou por uma série de exames e foi submetido a intervenções cirúrgicas para solucionar a rara lesão.

O duelo começou bastante equilibrado e com ambas as equipes se estudando. Mas o goleiro botafoguense não demorou a ter a primeira oportunidade para provar que está recuperado e em condições de lutar pela posição com o paraguaio Gatito.

Aos 9 minutos, ele teve de se esforçar para espalmar o chute forte do meia Marlone, desferido de fora da área, após bela jogada de Robinho pela esquerda do ataque. Em seguida, aos 12, Jefferson fez uma defesa de alto grau de dificuldade em um chute fortíssimo do volante Elias quase do bico direito da pequena área.

Aos 16, foi a vez de o goleiro Vitor, do Atlético-MG, aparecer bem no jogo. O atacante Roger foi lançado e teria grande chance para marcar, mas Victor saiu bem do gol e interceptou a jogada. Aos 22 minutos, Rafael Carioca alçou a bola na área com perigo, mas Jefferson saiu muito bem do gol. No entanto, no lance seguinte, aos 23 minutos, Marlone fez ótima jogada pela esquerda, cortou para dentro e disparou de perna direita. A bola desviou levemente na cabeça do zagueiro Emerson Silva e enganou Jefferson, morrendo no canto esquerdo da meta botafoguense: 1 a 0.

Aos 30 minutos, o mesmo Emerson Silva cabeceou forte após cobrança de escanteio e quase empatou a partida, mas a bola subiu demais. Na jogada anterior, que deu origem ao escanteio, o atacante Roger havia tentado um cruzamento de bicicleta, mas a defesa mineira havia tirado. Aos 37 minutos, uma saída de bola do goleiro Victor provocou muita reclamação de jogadores e torcedores do Botafogo.

O atleticano chegou no limite da área para interceptar um cruzamento vindo da esquerda. O lance foi duvidoso, mas a arbitragem deu sequência na jogada.

Na volta do segundo tempo, logo aos 2 minutos, Rafael Moura cruzou da esquerda e o zagueiro Emerson Silva desviou a bola com a mão. Pênalti marcado. O próprio atacante atleticano Rafael Marques foi para a cobrança para ampliar o marcador, mas o goleiro Jefferson defendeu e deixou a torcida eufórica. O Altético-MG continuou pressionado muito e obrigando Jefferson a se consolidar como grande nome da noite.

Aos 9 minutos, Robinho recebeu passe no lado direito da área e bateu firme. O chute foi forte e alto, mas o goleiro botafoguense fez outra excelente defesa e impediu o gol dos mineiros. A partida passou a ficar truncada e com várias faltas.

O Botafogo seguiu tentando se lançar ao ataque, mas sem levar grande perigo para Victor. Já os atleticanos conseguiam controlar a partida na tentativa de levar o resultado até o final. Jefferson ainda apareceria mais duas vezes para salvar o Botafogo na partida.

Aos 43 minutos, Cazares fez linda jogada na área, entortando a zaga carioca, mas parou no goleiro, que saiu para abafar a jogada. Depois, aos 45, Jefferson espalmou uma bomba desferida por Robinho em grande contra-ataque do time mineiro.

No entanto, a estrela solitária do Botafogo ainda brilharia na noite deste domingo. Aos 46 minutos, o árbitro Wilton Pereira da Sampaio marcou um pênalti, cometido por Matheus Mancini, que derrubou Marcos Vinícius na área. Victor defendeu a cobrança no canto direito dele, mas o atacante botafoguense conseguiu pegar o rebote e empatar a partida: 1 a 1.

O empate deixa o Atlético Mineiro, que chegou aos 17 pontos ganhos, em oitavo lugar na tabela do Brasileirão. Já o Botafogo subiu para 16 pontos e está em décimo lugar.

Frustração para os mineiros - que saíram de campo se queixando do tropeço - e entusiasmo do lado botafoguense, especialmente pela noite heroica de Jefferson. Na próxima quarta-feira, o Atlético receberá o Santos, às 19h30, no Independência, na abertura da 13ª rodada do Brasileirão, na qual o Botafogo fará no mesmo dia um clássico com o Fluminense, às 21 horas, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 1 x 1 ATLÉTICO-MG

BOTAFOGO - Jefferson; Arnaldo, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Marcos Vinícius), Matheus Fernandes (Camilo), João Paulo e Bruno Silva, Roger e Rodrigo Pimpão (Guilherme). Técnico: Joel Ventura.

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Bremer, Matheus Mancini e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago (Adílson), Elias e Marlone (Cazares); Robinho e Rafael Moura (Fred). Técnico: Roger Machado.

GOL - Marlone, aos 23 minutos do primeiro tempo; Roger, aos 46 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Joel Carli (Botafogo); Rafael Carioca, Matheus Mancini e Fábio Santos (Atlético-MG).

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

PÚBLICO - 8.443 pagantes (9.630 presentes).

RENDA - R$ 214.985,00.

LOCAL - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ