O inglês Lewis Hamilton não sofreu sustos e venceu no domingo de ponta a ponta o GP da Hungria de Fórmula 1. A Mercedes ficou perto de conseguir a dobradinha, mas, faltando cinco voltas para o final, o finlandês Valtteri Bottas foi ultrapassado pelos pilotos da Ferrari. O alemão Sebastian Vettel e o também finlandês Kimi Raikkonen garantiram o segundo e o terceiro lugares.

O resultado encerrou o domínio de Vettel no circuito de Hungaroring - o alemão havia vencido nos dois últimos anos. E de quebra ampliou a vantagem de Hamilton na liderança do Mundial de Pilotos. Com a quinta vitória na temporada, a de número 67 na carreira, ele agora foi a 213 pontos na classificação contra 189 de Vettel, o segundo colocado.

A vitória da Mercedes na Hungria também pode ser considerada uma surpresa na temporada, já que o traçado marcado por curvas e de difícil ultrapassagem tinha a Ferrari e também a Red Bull como favoritas. No entanto, a chuva no treino classificatório mudou todos os prognósticos. Hamilton e Bottas garantiram a primeira fila no grid. O finlandês Kimi Raikkonen largou em terceiro, com Vettel em quarto.

Na largada ficou claro o jogo de equipes de Mercedes e Ferrari. Bottas ajudou Hamilton a segurar a investida dos principais rivais. Na parte final da corrida, Vettel começou a pressionar Bottas, que mantinha quase um segundo de vantagem. Raikkonen vinha na quarta colocação com um ritmo mais forte do que o alemão. Talvez, se estivesse em terceiro, já tivesse roubado o segundo lugar.

Enquanto isso, Hamilton liderava com folga, com cerca de 10 segundos de vantagem para o companheiro de equipe. Faltando cinco voltas para o final, Vettel finalmente conseguiu dar o bote e logo em seguida fechou a porta para Bottas, que chegou a bater o bico do carro na roda traseira do alemão.

Raikkonen aproveitou para assumir a terceira colocação. Bottas ainda sustentou o quarto lugar, mas passou a ser pressionado por Ricciardo.

A temporada da F-1agora faz uma pausa e recomeça em 26 de agosto, no GP da Bélgica.