O ex-jogador Kaká olha sua imagem comemorando um gol num de seus primeiros jogos como profissional e dá risada. Era um menino feliz, de braços levantados e meio desengonçado, brincando com o que amava. "Quando você é mais novo, não pensa no que faz: eu ia lá e fazia", diz ele. "Mais para o fim da carreira, eu pegava a bola e dificilmente saia correndo só na intuição. C...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários