No fim do expediente, o novo vice-presidente do Banco Central da Ásia  notou algumas garrafas de água largadas pela metade em cima das mesas dos funcionários. Foi o suficiente para que o executivo da maior instituição financeira privada da Indonésia restringisse, já no dia seguinte, a cota de água potável que cada colaborador teria acesso no banco, dali em diante. Em entrev...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários