Era comum ver idosos caminharem pelas praças para manter a boa forma e a saúde. Agora após a pandemia do coronavírus, as cidades têm tido cada vez menos idosos na rua. Eles fazem parte do grupo de risco para o contágio da doença segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

No Tocantins a população de pessoas de 60 anos ou mais até o último trimestre de 2019 era de 228 mil. A porcentagem em relação à população total do Tocantins (pouco mais de 1,5 milhões) é de 14,6%. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Trimestral Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em Palmas a situação é parecida. A cidade tem pouco mais de 200 mil habitantes e pouco mais de 28 mil pessoas são idosas. O número representa 9,4% do total da população. 

Dados mostram que enquanto em jovens a taxa de mortalidade do coronavírus é de 0,2%, para os idosos ela chega a 14,8% e uma das principais razões para que os idosos façam parte do grupo de risco é o sistema imunológico. Especialistas apontam que os idosos possuem uma resposta mais lenta aos fatores externo e chamam a atenção para o isolamento social como prevenção da doença.

Na Capital, todas as atividades voltadas para a pessoa idosa estão suspensas por tempo indeterminado. A medida da Prefeitura de Palmas atende às recomendações do Ministério da Saúde. 
A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) orienta que idosos especialmente portadores de comorbidades como diabetes, hipertensão arterial, doenças do coração, pulmão e rins, doenças neurológicas, em tratamento para câncer, portadores de imunossupressão entre outras, e aqueles com mais de 80 anos e portadores de síndrome de fragilidade, adotem medidas de restrição de contato social. Assim, devem evitar aglomerações ou viagens, o contato com pessoas que retornaram recentemente de viagens internacionais e contatos íntimos com crianças. 
Segundo a entidade, é necessário alertar e reforçar toda a população de que as medidas preventivas mais eficazes para reduzir a capacidade de contágio do coronavírus são: “etiqueta respiratória”; higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool gel a 70%; identificação e isolamento respiratório dos acometidos pelo vírus e uso dos EPIs (equipamentos de proteção individual) pelos profissionais de saúde.

Campanha prioriza idosos

Nesta segunda-feira, 23, o Brasil inteiro começou a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe que tem como público da primeira fase os idosos e os profissionais que atuam na saúde. No Tocantins, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) espera vacinar mais de 470 mil pessoas em todo o Tocantins. Em várias cidades do Estado, a vacinação ocorre por meio do sistema drive thru (vacinação ocorre em carros) para atender de forma segura e evitar a aglomeração de pessoas. 
Confira abaixo algumas dicas de contenção da propagação do vírus: 

• Higienizar as mãos frequentemente com água e sabão (ou com álcool em gel a 70%).
• Evitar aglomerações.
• Evitar contato com pessoas com sintomas de gripe (tosse, espirros, falta de ar).
• Evitar tocar os olhos, o nariz e a boca com as mãos sem lavá-las.
• Evitar apertos de mão, abraços e beijos ao cumprimentar as pessoas.
• Ao espirrar e tossir, cubra o nariz e a boca com o cotovelo flexionado ou com lenço (em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos).