Estado

Temporada de buracos está aberta

Período de chuvas e a força das águas deterioram o asfalto de ruas e avenidas da Capital; população reclama de situação, que ocasiona mais acidentes de trânsito

Todos os anos a temporada de chuvas castiga a pavimentação asfáltica da Capital, e neste ano não foi diferente. De Norte a Sul da cidade, a população tem reclamado dos buracos, que em muitos lugares se tornam verdadeiras ‘crateras’, que danificam os veículos e podem até causar acidentes.

Muitos buracos foram flagrados nas avenidas e ruas próximos às quadras 101, 103, 203, 303 e 605 Norte. Na rua NSA, localizada na Quadra 101, diversos buracos cobertos por água enganam os motoristas. Na avenidas LO-14, próxima à quadra 605 Norte, a situação é a mesma, assim como o asfalto de diversas rotatórias do centro da Capital. E a equipe do Jornal do Tocantins percorreu as ruas e conversou com moradores, que são diretamente afetados por esse problema.

Esse é o caso do mototaxista Cleiton Oliveira Campos, de 32 anos, que precisa estar diariamente nas ruas. O ponto onde ele trabalha fica localizado na região Norte, mas ele transita por toda a cidade. Para o mototaxista, o problema dos buracos é geral. “A cidade toda está só o buraco. Tampam em um dia e no outro está aberto. Mas parece que a região Norte está pior. Por causas dos buracos é difícil um mototaxista não ter as rodas da moto amassadas”, relata.

Campos também conta que sofreu um acidente recentemente causado justamente por um buraco, e acredita que a Prefeitura demorou a cuidar do problema neste ano. “Fui fazer uma corrida e na volta cai em um buraco. Estragou a roda, um pneu e a câmara de ar da moto. Fica difícil trabalhar assim, porque fiz uma corrida de R$ 10,00 e o conserto ficou em R$ 250,00 para arrumar a moto. E a gente vai cobrar de quem o prejuízo?!”, reclama o mototaxista, ressaltando que a fiscalização aos mototaxistas é rigorosa por parte da gestão, para garantir pneus e equipamentos em dia, mas que não faz o mesmo pelas vias.

Região Sul

A avenida D, localizada no Jardim Aureny III, também está repleta de buracos. De acordo com um morador de um conjunto habitacional no local, que preferiu não se identificar, com o início das chuvas a situação piorou. “Além disso, fica uma água empossada, correndo o risco de trazer doenças para os moradores, e a tendência é piorar porque ninguém toma providências. Já vieram tapar os buracos, mas quando é à tarde a chuva veio e reabriu. Se analisar, dá para ver que o material não é bom mesmo, não dá para manter o serviço desse jeito”, reclama o morador, relatando que na semana passada caiu em um buraco e o para-choque do seu carro estragou.

Quem tiver seu veículo danificado em decorrência de buracos nas vias pode até pedir ressarcimento à Prefeitura, mas o processo é demorado. Segundo o advogado Indiano Soares, é de responsabilidade da Prefeitura a manutenção do asfalto e, no caso de prejuízo, é interessante fazer três orçamentos em oficinas, mas fazer a reparação do seu próprio bolso para não ficar sem o veículo. “Posteriormente, a pessoa pode entrar com um processo administrativo para tentar conseguir o ressarcimento. Mas é pouco provável que aconteça isso porque são poucos os casos que a administração fará esse pagamento. Caso a pessoa queira entrar na Justiça também é possível, mas o aconselhável é o processo administrativo”, explica.

Ele ressaltou que, de acordo com o Código Civil, essa é uma responsabilidade objetiva do Município, e a vítima precisa mostrar o dano e o que ocasionou. É valido também registrar o dano com fotos, vídeos e verificar se existem pessoas que presenciaram o acidente para que possam ser testemunhas no caso da abertura de um processo judicial, orientou o advogado.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ