Estado

R$ 68 milhões não resolverão problema da crise na saúde

Do total da verba anunciada pelo ministro Ricardo Barros, no dia 13, só 1% ficará com o governo do Estado e servirá para comprar medicamentos, diz secretário Musafir

Adilvan Nogueira
Durante reunião amanhã no Ministério da Saúde, Sesau espera anúncio para agilizar obras no HGP

Dos R$ 68,2 milhões liberados pelo Ministério da Saúde para o Tocantins, somente R$ 720 mil serão para a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), segundo o secretário Marcos Musafir em entrevista ao Jornal do Tocantins. De acordo com o secretário, os demais 67,3 milhões são destinados aos municípios. “Esse dinheiro não vai nem passar pela gestão estadual, vai direto do Ministério para os municípios”, comentou.

O valor destinado à Sesau corresponde a apenas 1% do valor total anunciado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, no último dia 13. Conforme Musafir, os R$ 720 mil já foram liberados, em janeiro, e tem destino definido. O recurso é destinado à assistência farmacêutica durante os 12 meses do ano. “Faremos a aquisição de medicamentos de alto custo, que estão na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename)”, explicou.

Ao todo, são 600 medicamentos que estão disponíveis pela Rename. “Os demais medicamentos que se fizerem necessários devem ser comprados com recursos do Estado”, comenta. Parte do recurso também será destinada para a reabilitação, principalmente, na ampliação do Centro de Reabilitação de Palmas.

Sobre a intenção do ministro da Saúde de agilizar as obras do Hospital Geral de Palmas (HGP), o secretário disse que o auxílio ainda não foi formalizado, mas que esse anúncio deve ocorrer amanhã, durante reunião entre os Estados e o Ministério, em Brasília.

Municípios

Durante a reunião com o Ministério da Saúde, serão definidas questões sobre os recursos destinados aos municípios. Já no que se refere à verba ao Estado, segundo Musafir, na oportunidade o ministro da saúde vai falar sobre a destinação e a data da liberação.

Cada cidade, conforme o secretário, receberá uma parcela referente a uma demanda que leva em conta a população e a área do município, e que o valor é referente a emendas parlamentares e dívidas anteriores com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), auxílio farmacêutico e subsídios para serviços laboratoriais, ambulatoriais e hospitalares.

Alimentação

Durante a entrevista, o secretário também falou sobre a questão da falta de alimentação dos hospitais, que, no ano passado, foi recorrente e afetou servidores, acompanhantes e até mesmo pacientes internados em todo os hospitais regionais do Estado e no Hospital Geral de Palmas (HGP). “Fomos surpreendidos pela empresa que trabalhava aqui. Ela oferecia o café da manhã e na hora do almoço colocava água nas panelas e dizia que não faria o almoço. Graças à solidariedade da população e entidades, por meio de doações, conseguimos servir a alimentação”, comentou.

Após o problema com a empresa, a Sesau aderiu a uma ata de fornecimento de alimentação que a Secretaria da Educação (Seduc) utiliza. A medida é provisória e conta com uma equipe de nutrição, em cada unidade, que regula o cardápio de forma nutritiva e econômica.

Segundo Musafir, ainda este mês, com previsão para o dia 27, deve ser iniciada a licitação, por meio de pregão eletrônico, para a regularização da alimentação. A licitação será dividida em quatro lotes, cada lote terá cerca de 400 leitos. “Fizemos isso para não ficarmos reféns de uma única empresa abastecendo todo o Estado”, comentou.

Já no que se refere à segurança nas unidades, o secretário disse que a pasta tem um projeto para contratação e capacitação de porteiros para todos os hospitais e anexos. A iniciativa deve ser aprovada ainda esta semana pelo governo, afirmou Musafir.

A medida foi tomada após algumas ocorrências de criminalidade dentro de unidades. Uma delas foi um assalto à mão armada no Hospital Regional de Paraíso do Tocantins na última semana.

Musafir ainda reforçou a implantação do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde – Integra SUS - onde serão monitoradas as ações desenvolvidas nos municípios tocantinenses em tempo real. O centro permitirá agilidade no planejamento de políticas públicas e tomada de decisões com maior efetividade e eficiência com vistas à prevenção e promoção da saúde.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ