Estado

Presos das unidades prisionais pagam por objetos

Aparelhos celulares variam entre R$ 2 mil e R$ 3 mil, já arma de fogo chega a R$ 6 mil, conforme denúncia; Seciju disse que vai abrir investigação para apurar

Divulgação
Na unidade de Cariri foram apreendidas cerca de 60 armas artesanais e seis celulares ontem
A cada vistoria realizada em presídios, a sociedade se pergunta como armas, aparelhos celulares e entorpecentes chegam até os presos. Em entrevista à TV Anhanguera, um funcionário da empresa Umanizzare Gestão Prisional Ltda revelou como funciona o esquema de entrada no Centro de Prisão Provisória (CPP) de Palmas e os valores para cada objeto. Ontem, foram realizadas r...
Matéria exclusiva para assinantes
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ